Feeds:
Artigos
Comentários

O coletivo Poesia Maloqueirista une forças à FLAP! 2008, desta vez à convite da organização, mas sem perder o espírito que caracteriza o movimento como apropriação de espaços, intervenção e toda a influência iconoclasta que o permeia. Nascido há cerca de 6 anos nas ruas de São Paulo, a Poesia Maloqueirista que se iniciou a partir do encontro de poetas urbanos, mantendo a tradição de veicular suas publicações independentes sempre em frente à espaços culturais, atualmente possui um caráter que vai bem além da literatura impressa (como o projeto da Revista Não Funciona – Ano 4), somando incursões em diversas vertentes como música, artes visuais, performance, etc. Conhecido no meio cultural alternativo também pela proposta difusa de reunir artistas de variados estilos e tendências, o evento C.A.I-MAL (Centro de Ação In-formal), organizado pelo coletivo, chega em setembro próximo ao seu aniversário de 3 anos, já tendo juntado gente como Glauco Mattoso, Marcelino Freire, Celso de Alencar, M’c Trindade, Pedro Paulo Rocha, Ana Rüsche, Encantadeiras, Atelier Aberto, Celso Borges, Poetas da Cooperifa, Sarau do Binho, Dinho Nascimento e tantos outros, se caracterizando pela busca da expressão poética em linguagens diferenciadas, numa proposta sinestésica e experimental. A cultura urbana (e o cotidiano) refletem bastante no estilo literário dos organizadores do coletivo (Berimba de Jesus, Caco Pontes e Pedro Tostes) e conseqüentemente nos eventos e intervenções que realizam. Este ano, os 3 nomes citados acima lançam a Coleção Maloqueirista, financiada pelo incentivo do Programa VAI (Sec. Mun.de Cultura de SP), onde cada um publicará livro com respectivo trabalho autoral.
Na FLAP! 2008, o coletivo organiza e conduz o evento Posto da Polícia Aduaneira i, onde receberá convidados que tem representado resistência e potencial no cenário cultural paulistano (porém difundido em outras regiões do país, ou mesmo fora). Mesclando poesia, música, dança, artes plásticas, audiovisual, hip-hop, são eles: Encanta Realejo, Léo de Abreu, Verbo Curto_Viola na Vela e Orquestra Megafônica, con a participación de Martín Barea Mattos, do Uruguai, além do palco aberto, estimulando a expressão de quem estiver presente e desejar interagir diretamente. Na abertura do evento será exibido o documentário “Jaguaribe Carne: alimento da Guerrilha Cultural“, com direção de Marcelo Garcia e Fábia Fuzeti; o filme conta a trajetória desta cooperativa cultural criada em João Pessoa/ PB, em 1974, pelos irmãos Pedro Osmar e Paulo Ró, onde passaram artistas como Chico César, Lenine, Elba Ramalho e o poeta Jomard Muniz de Britto.
Também nas mesas que este ano chegam às periferias, o coletivo foi responsável por articular, criar pontes e possibilitar debates em espaços como Bar do Binho (onde ocorre o tradicional sarau de mesmo nome, todas as segundas-feiras), no Campo Limpo e Fábrica de Criatividade, no Capão Redondo. Desejamos à todos bons vôos nesta empreitada e à quem interessar, acesse nosso blog: www.poesiamaloqueirista.blogspot.com

Caco Pontes, Poesia Maloqueirista

Platéia de ontem na Casa das Rosas

Você acha que o Capão Redondo é longe? Bem, longe é relativo. Mas se você acha Santo Amaro ou o Morumbi ou o Campo Limpo locais possíveis, o Capão também é. Estamos ali perto.

Me perguntaram como chegar na Fábrica de Criatividade. O google maps é sempre uma mão na roda. No nosso site tem um mapinha. (www.fabricadecriatividade.com.br), mas vim traçar algumas rotas e dar umas dicas.

Estamos na frente do metrô Capão redondo, nossa rua é uma travessa da Estrada de Itapecirica. A rua chama Dr. Luís da Fonseca Galvão. Número 248. Na esquina dela, tem uma igreja católica – a Nossa Senhora do Carmo.

De carro:

– Se você está vindo do centro pela Marginal, vá até a altura da Ponte João Dias, e entre à direita logo após o Terminal João Dias. Vai ter placa indicando Itapecirica, Campo Limpo ou Capão Redondo. Você vai estar na Estrada de Itapecirica.

– Se você sabe pegar a Giovanni Groncchi. Descer até o final (sentido contrário ao do Estádio do Morumbi!). Passe o Shopping Jd Sul. Vai acabar a Giovanni. Você pode entrar numa entradinha à direita, numa rua chamada Carlos Caldeira Filho e ir seguindo a linha do metrô. Ela é paralela à Estrada de Itapecirica. Já na Estrada de Itapecirica, é uma reta só. Passe a indicação do CEU Casablanca (uma placa) e, (tudo à sua direita) – o Shopping Campo Limpo, um Habib’s, o Terminal Capelinha. Quando vir o Terminal, fique já atento. Você vai ver, à sua direita, uma Casas Bahia e à sua esquerda, uma loja de Móveis que pega um quarteirão inteiro, chamada Rei dos Móveis. Existe uma entrada só para conversão à esquerda na rua desta loja de móveis (ou seja, você não passa a loja, vira antes dela). Subindo esta rua, você vai estar paralela à nossa rua. Entre, então, na primeira direita, e na primeira esquerda. Suba e vai ver nosso prédio.

– Se você está vindo da Av. Franscisco Morato, siga até o final dela (sentido bairro, lógico…) e vai ver o Extra Taboão. Fique de olho nas placas para pegar a Estrada do Campo Limpo. É meio que seguir o fluxo. Siga na Estrada do Campo Limpo até o final. Ela vai virar Av. Carlos Lacerda. É isso mesmo. Continue até o final. Ela termina na Estrada de Itapecirica. Desça, à esquerda, passe a estação de metrô e verá a igreja e a nossa rua logo na sua frente. Suba e pronto.

De ônibus: Ligue 156 e fale de onde vai sair e onde quer chegar que é o jeito mais fácil!

E qualquer coisa, ligue pra gente e pergunte. Nosso telefone é 5511-0055.

É isso! Até lá!

Mafê – Fábrica de Criatividade

estaremos no jornal da globonews das 22h – acho que rola no último bloco. não perca!

os participantes da FLAP! assistiremos o jornal lá no hotel, praticamente uma final tajiquistão x goa. a equipe da globonews filmou vários convidados na casa das rosas, mostraram nossas transmissões ao vivo, a feira de livros que está linda, vários poetas lendo e algumas mesas. aê!, viva la conexión!

em www.flixwagon.com/flap2008 entrevista com poetas direto da FLAP! 2.0 08. apos a transmissao, os videos estarao disponiveis no mesmo endereço

exemplo de video é esse de javier norambuena (chile):

.

dentro de mim
morreram muitos tigres

os que ficaram
no entanto
são livres

.

.

poema de Lau Siqueira lido por Frederico Barbosa na abertura

fotos de ayer

Alberto Trejo (México) demonstra que o folder da FLAP! é um passaporte e será carimbado, se você quiser, por todos os convidados das mesas. Idéia do Alan Mills (que ingenuamente pensava ganar algunos dólaritos vendiéndole esta ideia al capitalismo foráneo) pirateada rapidamente pela organização.

No Bora-bora da Henrique Schaumann, Luis Paniagua (México), h.h. (Chile), René Morales (Chiapas) y Caqui, el pescador yucateco…

Na mesa, los mexicanos Lorena Saucedo y Alberto Trejo, las argentinas Virginia Fuente y María Eugenia López e o xileno Enrique Winter.

(havia un pequeno vídeo de la mesa… biéeeeen tosquito como sempre deve se hacer nestas datas… pero el fichero é incompatível com ese wordpress).

A abertura da FLAP e Lançamento do Casulo ocorreu hoje na Biblioteca Temática de Poesia Alceu Amoroso Lima, com a apresentação da Rosângela Ogata!

 

– Frederico Barbosa (poeta e diretor da Casa das Rosas – Brasil)

– Alberto Trejo (poeta – México)

– Alfredo Fréssia (poeta – Uruguai/Brasil)

– María Eugenia López (poeta – Argentina)

– Eduardo Lacerda (poeta e Editor d’O Casulo – Brasil)

– leitura de uma  tradução de Elisa Andrade Buzzo (poeta – Brasil)

– leitura de poema por Ana de Oliveira (poeta – Brasil)

    

Abaixo algumas fotografias (por Sissy Eiko)

E os 2 links para os álbuns on line, com todas as fotos sem cortes!